Fomos conhecer Xochimilco, a tal “Veneza do México”

Já estávamos cansados de ver fotos de Xochimilco nas redes sociais e todas eram mais ou menos iguais: barquinhos amarelos andando em um canal, repletos de gente feliz. <3

Como estávamos na Cidade do México, era a oportunidade para conferir de perto o passeio. Para isso, acordamos cedo, colocamos uma roupa fresquinha e encaramos uma viagem de quase duas horas em metrô e trem – e voltamos vivos (e cansados!) para contar como foi!

Como chegar a Xochimilco

Em primeiro lugar, é importante saber que Xochimilco é longe, mas longe mesmo. Tipo longe na milésima potência, sabe? Então, se você for do tipo sem paciência para viagens longas, é melhor pegar um táxi até lá, o que dificilmente sairá por menos de 200 pesos (cerca de R$ 40), ou deixar o passeio de lado. Mas, se você não tiver muito medo de aventuras, segue as dicas abaixo e não vai ter erro. 😉

Passeio de trajinera em Xochimilco

Primeiro, você terá que pegar a linha azul do metrô (5 pesos/R$ 1) até a estação Tasqueña, que fica no final da linha. Chegando lá, é hora de pegar um trem – as estações são coladinhas uma na outra e ambas têm o mesmo nome, mas estão bem identificadas, então fica fácil de chegar no lugar certo.

Para pegar o trem você vai precisar de um cartão de transporte que pode ser adquirido por 10 pesos (R$ 2) em uma das máquinas que estão localizadas pertinho da catraca, na própria estação de trem. O mesmo cartão pode ser usado por mais de uma pessoa e é importante saber que a máquina não oferece troco – ou seja, se você colocar 100 pesos vai receber o cartão + um saldo de 90 pesos para suas próximas viagens. O trem custa 3 pesos (cerca de R$ 0,65) e você terá que descer no outro extremo da linha, na estação chamada Xochimilco.

Dali em diante é hora de contar com seus pés para caminhar até algum dos vários embarcadeiros onde você poderá pegar uma trajinera (os barquinhos amarelos que comentamos acima e que você vê nas fotos aqui do post). Vale lembrar que a região não é das mais bonitas e eu não aconselharia passar por lá muito no fim da tarde, muito menos à noite. Por isso mesmo, busque o embarcadeiro mais central, já que dependendo de onde você embarcar poderá passar mais tempo em uma área deserta – e nem tão bonita – do que na região mais movimentada (e mais legal) do rio.

Como é o passeio em trajinera

Assim que descer do trem, você vai encontrar diversas pessoas convidando os turistas para as trajineras e indicando o local em que elas se encontram. Há também muitas placas, mas elas indicam um embarcadeiro mais afastado e não tão legal (achamos o clima lá meio barra pesada, mas pode ter sido só uma impressão errada). O que acontece é que os locais competem entre si e todos vão tentar convencer você de que o passeio que oferecem é o melhor ou o mais barato, mesmo que isso não seja exatamente verdade…

Como muita gente aproveita o passeio para fazer festas e é possível encontrar desde grupos de adolescentes até casais de noivos nos barquinhos, o melhor é fazer o passeio acompanhado por um grupo de pessoas, para que seja mais animado. Além disso, quanto mais gente for com você, mais barato sai o tour, já que o custo é de 300 a 350 pesos por hora na trajinera, independente do número de pessoas.

Conhecer Xochimilco, na Cidade do México

A senhora da casa em que estávamos hospedados nos avisou que a maioria dos guias iria perceber que éramos turistas e tentaria cobrar 350 de cada um, mas que não deveríamos aceitar isso. Chegando lá, foi exatamente o que aconteceu. Avisamos que sabíamos quais eram os valores normais e os preços mudaram magicamente na maior cara de pau. #ficadica

Reservamos uma hora no barquinho e logo nos direcionaram para o “gondoleiro de trajinera” que nos levaria para o passeio. Como não havíamos embarcado no lugar mais central e sim num bem lonjinho para o qual nos guiaram, acabamos perdendo uns 15 minutos apenas para chegar até o movimento, o que não foi muito legal… Além do mais, há pequenos barcos que vendem bebidas e comidas para quem passa por ali, mas nosso guia disse que iríamos parar em um e acabou esquecendo no caminho…

No trajeto, você também vai passar por vários barcos com mariachis e grupos de pessoas de todas as idades curtindo o passeio. É possível até chamar os músicos para a sua trajinera por um valor que pode ser combinado diretamente com eles e certamente vai deixar o passeio ainda mais típico. 😀

Mesmo assim, nossa avaliação final é de que o lugar não é tudo aquilo que esperávamos: depois de duas horas de perrengue no transporte público, você ainda tem que dar uma boa caminhada até achar um embarcadeiro, torcer para te cobrarem o valor certo e o passeio acaba sendo apenas ok. Fora que vimos em vários barcos um escrito sugerindo que a gorjeta para o barqueiro deveria ser de 100 pesos (R$ 20 – WTF?)…

Como conhecer Xochimilco

Veredito: só voltaria lá se estivesse com um grupo grande de pessoas para fazer um passeio mais animado ou extremamente entediada. Mesmo assim, vale conhecer para tirar suas próprias conclusões e não voltar para o Brasil arrependido de não ter feito o passeio. 😛

Nota: os valores apresentados e a conversão mostrada são referentes aos meses de janeiro e fevereiro de 2016 e podem sofrer alterações a qualquer momento. 


Planeje sua viagem

Os links abaixo pertencem a parceiros comerciais do blog e foram inseridos espontaneamente pela autora. Ao reservar serviços através destes links, você ajuda o Quase Nômade a se manter em funcionamento, recebe nossa gratidão eterna e não paga nada a mais por isso! ♥

✈️ Voe com a Latam

🏨 Reserve seu hotel com o Booking

🚗 Alugue um carro com a Rentcars

💉 Faça o seguro viagem com a Seguros Promo ⇒ use o código NOMADE5 e ganhe 5% de desconto


⇒ Roteiro completo de viagem pelo México com estimativa de gastos

Como conhecer as pirâmides de Teotihuacan por conta própria

⇒ Coisas que todo viajante deveria saber antes de ir para o México

⇒ Viajando pelo México: qual meio de transporte escolher para cada trajeto

⇒ Este roteiro inclui todas as principais atrações da Cidade do México

⇒ Um passeio pelo Museu Frida Kahlo na Cidade do México

Depois de me formar em comunicação, passei um tempo morando na Argentina, Irlanda e na Romênia. Foi morando cada vez menos que esqueci o significado da palavra e hoje mantenho a capital gaúcha como sede dessa vida quase nômade.

Comenta aí, vai! :D

7 comments

    • Acho que rola, sim! Mas aconselho conferir como é a questão do estacionamento perto dos pontos de embarque, pois não parecia muito seguro caminhar ali perto. É possível que na própria locadora de veículos saibam informar melhor sobre isso! 😉

  1. Alex Navarro

    Alugar carro na cidade de trânsito mais complicado do continente americano pode ser a maior furada de um passeio… Cuidado.

  2. Amanda Duarte

    Oi, Mari! Vou para a CDMX em janeiro/17 e seu post foi de grande ajuda para montar o roteiro. Fiquei com uma dúvida, esse cartão de transporte para pegar o trem e chegar em Xochimilco é o mesmo cartão que podemos usar no metrô da CDMX? Eu não sabia que ele podia ser usado por mais de uma pessoa

    • Oi Amanda! Pelo que vi, existe um tipo de cartão que vale apenas para o metrô, mas não sei se ainda emitem. O cartão que é usado para o trem (se chama TDF) funciona para todos os transportes (trem, metrô, metrobus). Quem nos deu a dica de que mais de uma pessoa pode usar o cartão ao mesmo tempo foi a nossa anfitriã do Airbnb – fizemos isso e deu tudo certo! Para isso, basta validá-lo uma vez para cada pessoa que entrar no transporte. 😉

    • Claro que não, né? hehehe. Demos alguma coisa, mas foi bem menos do que isso. 😛