Roteiro de 1 dia em Bruxelas: cervejas e uma caminhada pela Grand-Place

A gente já começa esse post se desculpando: não tem como conhecer Bruxelas em um dia. Na verdade, não dá para conhecer nenhuma cidade em tão pouco tempo. Mas esse foi o tempo que a gente teve para curtir a capital da Bélgica em uma escala longa que fizemos por lá para economizar nas passagens (confere mais dessa dica aqui). E, como ninguém aqui é bobo de perder a chance de um passeio, lá fomos nós desvendar um pouco do charme de Bruxelas. 🙂

Para não ficar com quase 30 kg de malas a tiracolo, a gente resolveu deixar tudo no guarda-volumes do aeroporto de Charleroi e explicamos nesse post como fazer o mesmo. Resumindo a história, você gasta um pouco com o armazenamento e pode curtir a cidade sem tanto peso. Pelas dúvidas, nós levamos tudo que tínhamos de valor com a gente durante o passeio e deixamos apenas malas de roupas e bobagens por lá. Assim, na pior das hipóteses, não perderíamos muita coisa! #ficadica

Depois de tudo arranjado pegamos um ônibus executivo até a estação Bruxelles-Midi, na região sul da cidade – e é aí que nosso passeio começou de fato.

De Bruxelles-Midi à Grand-Place

Se você estiver com pouca ou nada de bagagem (o que é altamente recomendado, rsrsrs), pode esquecer o transporte e ir a pé de Bruxelles-Midi até a Grand-Place, que é a praça central da cidade. O caminho é bem tranquilo de se percorrer durante o dia, embora a gente tenha lido aqui que a região fica vazia à noite. A caminhada dura cerca de 20 minutos e é praticamente toda feita em linha reta. Ou seja: só sofrendo uma lobotomia para se perder.

Daí você se pergunta: o que eu vou fazer no centro da cidade? Buenas, o centro de Bruxelas é composto por uns edifícios bonitões, sendo que a maioria deles data do século 17. Como já é de praxe, lá foi a Unesco e declarou a região como Patrimônio da Humanidade. Por quê? “Sua arquitetura é um excelente compêndio e uma viva ilustração do nível alcançado neste período pela vida social e cultural neste importante centro político e comercial“, explicam os caras.

Então, vale uma passadinha por lá para ver uns prediões bonitos como esse da foto e curtir a vibe da cidade. 🙂

Roteiro de 1 dia em Bruxelas

belgica2

Pausa para comer: Taverne Le Cirio

Chegamos no Le Cirio meio por acaso quando buscávamos um lugar para comer em Bruxelas no meio da zona turística. Sim, a gente já sabe que a zona turística não costuma reservar bons restaurantes, mas tínhamos tão pouco tempo na cidade que não rolava escolher outro lugar para ir. Fecha parênteses. Na parte interna, nos surpreendemos ao encontrar um misto de turistas e (muitos) locais, além de preços bem razoáveis! #felicidadedepobre

O destaque do lugar nem foi a comida em si, já que optamos por comer só um croque-monsieur acompanhado de uma cerveja, mas sim decoração que é super antigona e promete remeter qualquer um para o início do século 20.

Placar de cervejas: 🍻

20161031_133744

Delirium Monastério

A ideia da Delirium Monastério parece melhor do que a execução. Um bar inteiro dedicado às cervejas de abadia e à vodka. A combinação parece inusitada, mas faz parte do conceito da casa. Afinal, segundo contam no site do bar, enquanto os monges da Europa Ocidental produziam cerveja, no Leste Europeu eles se dedicavam à produção de vodka. Depois de explicada a mistura, vale saber que a carta do bar é composta por 120 cervejas de abadia e 400 vodkas.

belgica3

Embora a proposta seja muito legal, o bar em si parecia abandonado no dia em que estivemos por lá. E além da inspiração da carta de bebidas, ele não se parece em nada com um monastério, o que é meio #fail. 🙁

Placar de cervejas: 🍻 🍻

Delirium Café

Não tem como amar cerveja e não pirar quando colocar os pés no Delirium Café. O bar faz parte da Delirium Village, assim como o anterior, e tem uma carta de mais de 3 mil cervejas, sendo o bar com mais opções da bebida no mundo. Resultado: ninguém consegue entrar ali sem ficar horas olhando o cardápio.

Já tínhamos visto uma dica que avisava para pesquisar as cervejas antes de chegar lá para não perder tempo pensando no que beber, mas (infelizmente) não levamos tão a sério quanto deveríamos… Se tem uma cerveja que você sempre quis provar, mas não achava para vender, pode ter quase certeza de que ela vai fazer parte do extenso menu da Delirium Café – também dá para conferir o menu online, mas não sei se ele anda muito atualizado…

belgica4

belgica5

Outro ponto importante é selecionar mais de uma cerveja como opção, pois algumas vezes acontece de que justamente o rótulo que você escolhe está em falta. Afinal, não é tarefa fácil manter todos os três mil rótulos em estoque, né? Eu, por exemplo, passei anos olhando o cardápio até escolher o que beber e, na hora de pedir, dito e feito: aquela cerveja que eu tinha amavelmente escolhido estava em falta. Lá fui eu me contentar com qualquer coisa. [Mentira, minha segunda opção era quase tão legal quanto a primeira! Há! 😛 ]

Placar de cervejas: 🍻 🍻 🍻 🍻

Depois de quatro cervejinhas, foi hora de encararmos a volta para o aeroporto, não sem antes parar para comer um waffle no caminho, é claro! Confesso que, como estávamos com pressa para não perder o voo, tivemos que petiscar a delícia no primeiro lugar que encontramos, mas o Receita de Viagem tem uma dica preciosa de onde comer os melhores waffles da cidade.

Mapa do nosso roteiro de 1 dia em Bruxelas

Nota: os valores apresentados e a taxa de câmbio são referentes ao mês de outubro de 2016 e podem sofrer alterações a qualquer momento. 


Planeje sua viagem

Os links abaixo pertencem a parceiros comerciais do blog e foram inseridos espontaneamente pela autora. Ao reservar serviços através destes links, você ajuda o Quase Nômade a se manter em funcionamento, recebe nossa gratidão eterna e não paga nada a mais por isso! ♥

✈️ Viaje com a KLM ou voe com a Latam

🏨 Reserve seu hotel com o Booking

🚗 Alugue um carro com a Rentcars

💉 Faça o seguro viagem com a Seguros Promo ⇒ use o código NOMADE5 e ganhe 5% de desconto


⇒ Aeroporto de Charleroi: como ir a Bruxelas e deixar as malas no aeroporto

⇒ Como visitamos Bruxelas sem gastar nada – e ainda economizamos em passagens

⇒ Seguro viagem internacional: é seguro viajar sem um?

⇒ Turismo sustentável: 13 atitudes que você pode tomar em qualquer viagem

⇒ 5 maneiras de encontrar hospedagem grátis em sua próxima viagem

Depois de me formar em comunicação, passei um tempo morando na Argentina, Irlanda e na Romênia. Foi morando cada vez menos que esqueci o significado da palavra e hoje mantenho a capital gaúcha como sede dessa vida quase nômade.

Queremos ouvir seu comentário!