Como visitar as pirâmides de Teotihuacan por conta própria

As pirâmides de Teotihuacan são algumas das mais impressionantes que você irá encontrar no México e ainda por cima ficam pertinho da capital do país, o que faz deste um passeio imperdível. E a gente dá a dica de como chegar lá por conta própria. 😉

Quando voltamos à Cidade do México, decidimos que um dos passeios que gostaríamos de fazer era uma visita a Teotihuacan. Afinal, todo turista tem que passar por ali, né? Nós chegamos lá sem problemas e contamos como foi o percurso.

Como visitar as Pirâmides de Teotihuacan por conta própria

Primeiro, é preciso ir até o Terminal Norte da Cidade do México, o que pode ser feito com a linha 5 do metrô (amarela). Basta descer na Estação Autobuses del Norte e você vai sair praticamente dentro do Terminal, que é de onde saem os ônibus até Teotihuacan. É no guichê 8 que podem ser adquiridas as passagens, por 44 pesos mexicanos (R$ 9,50). Na hora da compra, não se esqueça de avisar que você irá para as pirâmides ou para a zona arqueológica de Teotihuacan, já que nem todos os ônibus passam por lá.

Pirâmide na Zona Arqueológica de Teotihuacan, na Cidade do México

Ao subir no veículo, avise novamente que irá descer nas ruínas para não ter erro – a maioria das pessoas acaba descendo ali também, em frente ao Portão 1. Daí pra frente, o restante do trajeto fica por conta dos seus próprios pés, mas vale lembrar que os ônibus de regresso para a Cidade do México saem dos Portões 1 ou 2. Nesse caso, uma boa ideia pode ser caminhar todo o trajeto e pegar um táxi até o Portão 2 no final do passeio.

Se estiver muito cansado, também pode ser interessante pegar um táxi seguro saindo do Terminal do Norte até o local onde você estiver hospedado, no volta para casa. Fizemos isso e o táxi saiu por cerca de 150 pesos mexicanos (R$ 30), o que não é muito barato, mas nos poupou uma longa viagem de metrô. 😉

Zona Arqueológica de Teotihuacan no México

Vale a pena ir a Teotihuacan por conta própria?

Por curiosidade, fomos conferir os valores de um tour fechado até Teotihuacan através do site da Turibus. Por lá, o passeio custava 900 pesos mexicanos (cerca de R$ 190) por adulto ou 500 (R$ 105) para crianças, com saídas diárias. O tour sai de 5 pontos diferentes da cidade e inclui transporte, entrada para as pirâmides e para a Basílica de Guadalupe, seguro e uma refeição buffet. Mas nós estávamos em busca de algo mais barato – e encontramos!

Vamos aos cálculos:

Turibus = 900 pesos mexicanos = R$ 190

Por conta própria = 10 pesos (metrô de ida e volta) + 88 pesos (ônibus de ida e volta até as pirâmides) + 65 pesos (entrada) + 120 pesos (estimativa por almoço) = 283 pesos = R$ 60

Ruínas de Teotihuacan no México

O passeio saiu por menos de um terço do preço de um tour convencional, então a gente acha que vale a pena sim, e muito! rsrsrs. Mesmo voltando de táxi do terminal e dividindo o valor entre duas pessoas, o passeio acabou ficando por 348 pesos (cerca de R$ 75). Além disso, quem quiser economizar pode levar um lanche de casa ao invés de almoçar no local, o que também ajuda a gastar ainda menos durante o passeio. 😀

A diferença é que não passamos na Basílica de Guadalupe, por opção, já que aproveitamos para ficar mais tempo nas pirâmides. Mas no post do Sunday Cooks eles indicam como fazer ambos passeios no mesmo dia.

O que fazer nas Pirâmides de Teotihuacan

Caminhar, caminhar mais um pouco, parar para ler as plaquinhas, e caminhar mais. Ok, brincadeiras à parte, é bom ir preparado para uma boa caminhada no sol enquanto estiver visitando as Pirâmides de Teotihuacan. Ao todo, são cerca de dois quilômetros de zona arqueológica e você vai querer ver o máximo possível. Lembre-se de levar uma garrafinha de água e passar protetor solar antes de começar a caminhada, pois o sol é bem forte por lá, mesmo no inverno!

Como chegar às pirâmides de Teotihuacan, no México

Além das impressionantes Pirâmides do Sol e da Lua, que formam filas enormes de pessoas para subir (confesso: ficamos fora dessa!), há também toda a riqueza da arquitetura local para ser contemplada. Se não for acompanhado de um guia, fique de olho nas placas e indicações sobre costumes e fatos históricos, que estão espalhadas por todo o local. Se quiser ir direto nas pirâmides mais famosas, você pode entrar pelo Portão 2 e sair pertinho da imponente Pirâmide do Sol, que tem 64 metros de altura.

Entretanto, nossa dica é curtir também o passeio caminhando pela Calçada dos Mortos, como foi apelidada pelos astecas, que chegaram lá algum tempo depois e há seis séculos já tinham curiosidade sobre o que teria ocorrido com Teotihuacan. A avenida corta de norte a sul toda a região das pirâmides e termina justamente na Pirâmide da Lua.

Vista da pirâmide do Sol, em Teotihuacan, no México

História de Teotihuacan

A zona arqueológica de Teotihuacan parece uma das regiões mais áridas em que alguém poderia viver, mas não foi sempre assim. Há boatos de que, quando a chamada “Cidade dos Deuses” era habitada, entre os anos 100 e 750 d.C, o local era uma planície verde cercada de montanhas.

Embora não se conheça muito sobre as origens desta cidade, há indícios de que já houvesse pessoas na região antes da nossa era. Suspeita-se também que uma grande população tenha migrado para lá após a erupção do vulcão Xitle, que destruiu Cuicuilo. Assim, pessoas de diversas etnias chegavam ao local em busca de seu clima ameno e da circulação de mercadorias que ocorria na região. No século I, por exemplo, estima-se que 30 mil habitantes vivessem em Teotihuacan, que teve o auge de sua população estimado entre 85 e 300 mil habitantes durante a época que compreende os anos de 450 a 650 d.C, segundo o Ciência Hoje.

Pirâmides de Teotihuacan, no México

Nota: os valores apresentados e a conversão mostrada são referentes aos meses de janeiro e fevereiro de 2016 e podem sofrer alterações a qualquer momento. 


Planeje sua viagem para o México

Os links abaixo pertencem a parceiros comerciais do blog e foram inseridos espontaneamente pela autora. Ao reservar serviços através destes links, você ajuda o Quase Nômade a se manter em funcionamento, recebe nossa gratidão eterna e não paga nada a mais por isso! ♥

✈️ Voe com a Latam 

🏨 Reserve seu hotel com o Booking

🚗 Alugue um carro com a Rentcars

💉 Faça o seguro viagem com a Seguros Promo ⇒ use o código NOMADE5 e ganhe 5% de desconto


Roteiro completo de viagem pelo México com estimativa de gastos

Coisas que todo viajante deveria saber antes de ir para o México

Roteiro básico com as principais atrações da Cidade do México

Como é a visita a Xochimilco, a “Veneza do México”

Um passeio pelo Museu Frida Kahlo

Atrações grátis (ou quase!) na Cidade do México

Roteiro com os principais museus da Cidade do México

Depois de me formar em comunicação, passei um tempo morando na Argentina, Irlanda e na Romênia. Foi morando cada vez menos que esqueci o significado da palavra e hoje mantenho a capital gaúcha como sede dessa vida quase nômade.

Comenta aí, vai! :D

27 comments

  1. Boa noite! Vou para a cidade do Mexico por uma semana. Minha dúvida é qnto por dia vou gastar em peso Mexicano ou reais em almoço, janta, transporte e talvez algum café da tarde sem frescura. Há os souvenir sāo baratos? Att Mirelli

    • Oi Mirelli! Na Cidade do México é possível encontrar opções de almoço beeem baratos, mesmo nos bairros mais nobres. Em geral gastávamos entre 50 e 70 pesos mexicanos nessa refeição, comendo em lugares simples. Para a janta, vale reservar entre 100 e 150 pesos e normalmente é possível comer muito bem com esse dinheiro. No quesito transporte vai depender do meio escolhido: o metrô custa só 5 pesos. Eu não recomendo pegar táxis na rua, pois muitos mexicanos que conhecemos nos disseram que é perigoso (eles usam bastante EasyTaxi e Uber e os preços costumam ser mais baratos que no Brasil).

  2. Claudia

    Boa tarde! Quanto tempo demora uma visita a Teotihuacan? Pretendemos ir por conta própria também! Obrigada!

    • Oi Claudia! Tudo bem? Eu reservaria um dia inteiro para fazer a visita, principalmente se você fizer questão de subir nas pirâmides do Sol e da Lua (quando fomos, tinham filas enormes). O caminho até lá é demoradinho (+- 1h30) e você também vai poder curtir mais assim.
      Na zona arqueológica, o mínimo que você vai precisar é de umas 2 horas para fazer a visita (tirando as pirâmides, é claro).

  3. Olá! Vou em novembro pra lá! Estou fazendo várias pesquisas e vi que o tour pelo turisbus tem um guia… você acha que faz falta, ou não perderemos muito se formos por conta própria? Obrigada!!

    • Oi Patricia! Sinceramente, achei que não fez muita falta, mas já tínhamos visitado outras duas zonas arqueológicas no México quando fomos a Teotihuacan… Para mim, a principal diferença é que indo sem o tour você consegue ver tudo no seu próprio ritmo também! Uma dica legal pode ser visitar antes o Museu de Antropologia da Cidade do México e depois ir até as pirâmides – assim você aprende mais sobre a história da região e já chega por lá bem situada sobre o que irá encontrar. 🙂

  4. Adoro posts assim, mastigadinhos! Adorei a dica para ir por conta própria! Não curto muito excursão e sempre sou a favor do do it yourself. Obrigada pelas dicas super valiosas!

  5. Danielle Bispo

    Poxa, uma senhora economia! Tenho muita vontade de ir à cidade do México e penso que esse parque arqueológico deve ter uma w rgia incrível. Parabéns pelo post
    Bjs
    Dani Bispo

    • É incrível mesmo, Danielle! Vale a pena conhecer. 😉

  6. Uma falha na minha “biografia de turista” é o México e suas pirâmides maravilhosas… Ainda não conhecemos, mas temos planos. Obrigado pelas dicas, pois com certeza está na lista!

  7. Que bela dica, que diferença no preço, cada vez mais é mais fácil fazer as coisas independente se pegar tours organizados, oque eu adoro !

  8. Também sou dessas que prefere fazer o tour por conta própria. Não só pelo preço, que você bem mostrou que é bem menor, mas pela possibilidade de passar mais tempo no que me interessa. rsrs

    Muito boa matéria! Super útil!!! 🙂

  9. Não sabia que era possível visitar por conta própria! se não me engano são nessas pirâmides em que o sol desce certinho/perfeitamente na “cobra-corrimão” durante o solsticio e forma um efeito fantástico!

    • Nossa! Não sabia dessa ainda, Angie! Que legal! 🙂

    • A ruína do solstício é de Chichen Itzá, visitamos e vimos a cobra bem de levinho, pois mesmo fora da data, ainda é possível ver uma semana depois!

    • Opa, não sabia! Infelizmente não chegamos a conhecer as ruínas de Chichen Itzá, mas quem sabe em uma próxima viagem a gente consegue ver esse espetáculo também? Ia ser lindo! <3

  10. Sou louca pra ir ao México! O relato vai ajudar muito porque a economia entre fazer oor conta e com agencia, nesse caso, ta bem significativa! 🙂

  11. Essas pirâmides são lindas. Ainda não conheço o México, mas vontade é que não falta, já vou deixar anotada essa dica. E também não sou muito fã de tours, mas tudo depende da circunstância, as vezes, um tour pode até valer a pena.

    Abraços

  12. O México carrega muito dessas riquezas, não e mesmo? Ótimas dicas, preciso voltar para lá e comhecer mais desses cantinhos.

  13. Quando fomos a Teotihuacan, também fomos por conta própria e achamos que foi a melhor coisa. Ter seu próprio tempo para se ver tudo não tem preço. Teotihuacan é o meu sítio arqueológico favorito do mundo!

    • A gente também amou muito – mas confesso que Tulum também tem um charme inegável!! 😀

  14. Claudia Morales

    Oi! Boa tarde

    Adorei seu post!

    Vou fazer uma conexão na cidade do méxico de quase 12 horas. Eu e meu namorado decidimos alugar um carro para visitar as piramides. Sabe me dizer se tem estacionamento por lá? A estrada é tranquila?

    Obrigada!

    • Oi Claudia, que bom que você gostou do post! Como fomos de ônibus, confesso que não reparei se havia estacionamento no local, mas ACHO que tinha sim…

  15. Olá, excelente post!
    Sabe dizer com que frequência saem os ônibus tanto de ida quanto de volta? Gostaria de visitar, mas não sei se terei tempo.

    • Oi Beatriz. Os ônibus saem a cada 15 minutos entre 6h e 21h. Não tem erro! 😉