Barra de Valizas no Uruguai é um paraíso parado no tempo (mas com wi-fi!)

Quem acompanha o blog já deve ter percebido que nós piramos nas praias do Uruguai. Sérião, aquilo é amor pra vida. Este ano, nós tivemos a chance de conhecer Barra de Valizas em uma viagem de carro com alguns amigos. E lá fomos nós achar espaço para colocar mais um destino no coração, que quase arrebenta de tanto mundo. ♥

Valizas tem simplesmente o céu mais fodástico que alguém vai encontrar fora das auroras boreal e austral. Dá vontade de ficar horas ali contemplando a escuridão da noite, em que as estrelas podem ser vistas na sua melhor forma. E a noite é mesmo o ponto forte da praia uruguaia, mas não é pela badalação.

Rua principal de Barra de Valizas, no Uruguai

Por que conhecer Barra de Valizas?

Porque Valizas ainda tem ruas de chão batido, cachorros soltos, preços acessíveis e as noctilucas.

WTF?

As noctilucas causam um fenômeno de bioluminescência que pode ser melhor apreciado nas noites de março e abril. Para quem entende de biologia (não é o meu caso), eles são organismos dinoflagelados que medem cerca de um milímetro. É dentro destes organismos que elas produzem uma luz azul que pode ser vista na água, como um toque de magia na escuridão da noite.

Mas vou deixar que a foto abaixo, de autoria Fefo Bouvier, mostre sobre o que eu estou falando. Fefo gentilmente incluiu uma nota em seu site informando que a fotografia pode ser compartilhada, desde que informados os devidos créditos. É o que fazemos aqui.

Noctilucas em Barra de Valizas, Uruguai

Foto © Fefo Bouvier

Repararam que, na foto, é possível ver não apenas o fenômeno das noctilucas, mas também um céu incrivelmente estrelado. Esse é o resumo da noite de Valizas. ♥

Fora isso, lampiões tradicionais – e alguns improvisados feitos com garrafas d’água vazia e velas – são usados para caminhar pelas áreas mais centrais da praia. Por lá, a noite é escura como já quase não se vê em nenhum lugar. Os olhos demoram a acostumar-se, mas então parecem agradecer o descanso noturno.

A praia de Valizas

Quando o sol está brilhando, a praia de Valizas é onde todos se encontram. Um destaque para as casinhas de salva-vidas que levaram sorrateiramente pixações com frases para fazer o viajante pensar. “No hay espectadores” ou “Nadie es inocente” são alguns dos escritos espalhados por esse mobiliário litorâneo.


Na areia não faltam também casas, que podem ser vistas por vezes quase adentrando o mar durante uma caminhada pela praia. São construções simples, assim como o estilo de vida em Valizas. A única coisa que difere de tanta simplicidade é o wi-fi gratuito oferecido pelo departamento de Rocha na praia. Spoiler: funciona!

A praia é também ponto de partida para os aventureiros que buscam conhecer Cabo Polonio a pé. A caminhada entre as duas praias pode ser feita pela areia e, dependendo do caminho escolhido, pode ser de 8 ou 12 quilômetros. Os mais preguiçosos (e eu me incluo nesse grupo) podem empreender essa viagem indo até a entrada da Reserva Nacional Cabo Polonio de carro (ou com ônibus da empresa Rutas del Sol). De lá, é preciso pegar um dos veículos oferecidos para chegar até o vilarejo após deixar o carro no estacionamento. Nós contamos aqui como (e por que) fazer essa viagem, bem como todos os custos envolvidos.

Comendo bem (e barato!)

Durante o caminho, uma amiga que estava indo a Valizas com a gente comentou sobre dois lugares para comer por lá: a Padaria Água na Boca e o El Rey de La Milanesa. Segundo ela, que já visitava o balneário pela terceira vez e poderia ser considerada quase uma expert no assunto, estes eram os lugares clássicos de Barra de Valizas. E com os clássicos a gente não brinca em serviço, então incluímos os dois como itens obrigatórios na lista das nossas escassas refeições fora “de casa”.

Os (muitos) cafés da manhã que fizemos na Padaria Água na Boca não seriam responsáveis por atrapalhar nosso orçamento de viagem. Afinal, as medialunas quentinhas que eles tiravam do forno todos os dias custavam apenas 7 pesos uruguaios (cerca de R$ 0,80). As de presunto e queijo e a de doce de leite se tornaram nossas preferidas.

Mas, enquanto a padaria é uma parada gostosa pela manhã, à noite o sabor fica por conta do El Rey de la Milanesa, que vende sanduíches que são equivalentes a um xis feito com bifes à milanesa. Cada um custa entre 90 e 110 pesos uruguaios (R$ 10 a R$ 12). Ou seja, amor em forma de gordura. ♥

Uma opção para quem prefere esbanjar um pouco é o La Proa, bar e restaurante que fica localizado na beira da praia e oferece um cardápio bem variado, incluindo opções de peixes e frutos do mar. Nesse caso, prepare a carteira e sente-se numa das cadeiras de frente para o mar.

Ah, é bom lembrar que, por resguardar um charme meio anos 80, muitas coisas na praia de Valizas não aceitam cartão. Por isso mesmo, é bom sempre andar com dinheiro em mãos. Se não tiver pesos uruguaios, muitos estabelecimentos aceitarão pagamento em reais.

Melhor hospedagem: Patalsuelo

Nossa ideia inicial ao visitar Valizas era acampar. Levamos todo equipamento de camping e, de fato, acampamos durante duas noites. Foram as noites mais quentes da nossa vida. Como chegamos no último dia do Carnaval, já não haviam lugares na sombra e nós estávamos quase desmaiando de calor quando decidimos que era hora de abandonar o camping.

Depois de procurar um pouco, encontramos o Patalsuelo. São cabanas para alugar feitas para quem quer curtir Valizas com todo o conforto. O único porém pode ser o valor da hospedagem: uma noite na cabana para até quatro pessoas sai por US$ 100 (R$ 310) na alta temporada e pode chegar a US$ 70 (R$ 220) na baixa temporada.

Há também outras opções de hospedagem na cidade, como o Buena Vista Valizas (R$ 188), localizado na beira da praia; a Posada Valizas (R$ 313), que recebeu uma nota de 9,5 no Booking; e o charmoso Complejo Sol de Valizas (não informado). Os valores acima são referentes a uma noite de hospedagem em final de semana para duas pessoas em janeiro de 2018.

Como chegar em Valizas

Saindo de Porto Alegre, é possível chegar a Valizas de carro após uma viagem de cerca de 7 horas. A estrada é bem conservada e o custo dos pedágios entre os dois destinos na ida é de R$ 45,90 (todos no Brasil). De gasolina, nós gastamos aproximadamente R$ 200 para chegar até lá com um carro 1.6.

Para quem vai de ônibus, será preciso pegar um transporte até o Chuí e, de lá, seguir viagem com um ônibus Rutas del Sol – a mesma linha também pode ser usada para viajar entre outras praias da região ou mesmo ir até Montevideo. É importante porém ficar atento aos horários, pois a linha tem saídas limitadas durante o dia. A passagem de Valizas ao Chuy sai por 174 pesos (cerca de R$ 19) e entre Valizas e Montevideo custa 596 pesos (R$ 66).

Planeje sua viagem para Valizas

Os links abaixo pertencem a parceiros comerciais do blog e foram inseridos espontaneamente pela autora. Ao reservar serviços através destes links, você ajuda o Quase Nômade a se manter em funcionamento, recebe nossa gratidão eterna e não paga nada a mais por isso! ♥

✈️ Pesquise passagens aéreas com o Skyscanner

🏨 Reserve seu hotel com o Booking

🚗 Alugue um carro com a Rentcars

💉 Faça o seguro viagem com a Seguros Promo ⇒ use o código NOMADE5 e ganhe 5% de desconto

Depois de me formar em comunicação, passei um tempo morando na Argentina, Irlanda e na Romênia. Foi morando cada vez menos que esqueci o significado da palavra e hoje mantenho a capital gaúcha como sede dessa vida quase nômade.

Comenta aí, vai! :D

4 comments

  1. @ErreNascimento

    MY GOD, que vontade que deu de conhecer Valizas e essas noctilucas. Que psicodélico! E que lindeza de post, como sempre. ♥

  2. Gerson Bueno

    adorei as informações, tava pensando em dar um passadinha no uruguay, mas é impossivel, cada vez q leio e pesquiso descubro lugares e coisas pra se fazer por lá, já vi q vou ficar mais temo por lá.

    • Oi Gerson! Que bacana. Dá uma olhada nos outros posts que fizemos sobre o Uruguai. Você vai curtir! Nós amamos o país – e em breve vamos publicar um roteiro completo por aqui! 😉