Transporte público em Dublin: como chegar aos principais pontos turísticos de Luas

Vamos começar esse post com uma má notícia: não existe metrô em Dublin. Pois é, aquele papo de que metrô é tudo de bom e que qualquer cidade da Europa tem um transporte público maravilhoso está longe de ser verdade. Mas tem sim um tipo de transporte público em Dublin bem similar ao metrô: é o Luas, uma espécie de veículo leve sobre trilhos.

Como a capital da Irlanda tem apenas 500 mil habitantes, ela não precisa de um transporte assim perfeito que funcione em toooodas as zonas. Muita coisa (muita mesmo) pode ser feita a pé por lá e, quando não é possível, existe o Luas para salvar os itinerários da galera! 😀

O transporte oferece apenas duas linhas: a linha vermelha (Red Line) e a linha verde (Green Line) – e quem viaja a turismo para Dublin provavelmente irá usar apenas a linha vermelha. É ao longo dela que se encontram a maior parte dos pontos turísticos da cidade, como a Guinness Storehouse ou o Temple Bar, por exemplo.

Atualização em 14.09: Uma nova linha que está sendo chamada de Luas Cross City deve ser inaugurada na cidade no dia 9 de dezembro. Segundo tweets da empresa, a nova linha, que funcionará como uma continuação da linha verde e deverá conectá-la à linha vermelha, já está sendo testada.

Luas ou ônibus em Dublin?

Embora os ônibus da cidade sejam ótimos (eles são de dois andares, como os londrinos, e tem wi-fi!), pode ser um pouco confuso usar o transporte para quem não fala nada de inglês. Isso porque você terá que informar o seu ponto de descida para o motorista e os preços variam de acordo com o itinerário percorrido. Daí já viu a confusão, né?

Como andar de ônibus em Dublin

Outra opção é comprar os tickets que permitem múltiplos trajetos durante um dia inteiro (falamos deles ali embaixo ⬇️). Geralmente, o preço só compensa para quem realmente vai se locomover muitas vezes pela cidade durante o período – mas, mesmo que não seja o caso, ele pode ajudar devido à praticidade de não ter que se entender com o motorista falando inglês com sotaque irish. 😛

As linhas de ônibus de Dublin não são perfeitas, mas costumam oferecer mais opções do que o Luas. Muitas paradas também incluem painéis eletrônicos indicando os próximos ônibus que irão passar e quanto tempo falta para que cada um chegue ao local (não dá para confiar 100%, mas em geral eles funcionam bem).

Em compensação, o Luas tem a praticidade de poder comprar os tickets diretamente nas estações e não precisar conversar com ninguém na entrada ou na saída do veículo. As paradas são anunciadas tanto em um painel dentro do próprio meio de transporte quanto por uma chamada de voz para os passageiros e os veículos passam com mais frequência do que a maioria das linhas de ônibus.

Quanto custa o transporte público em Dublin?

Tá aí uma pergunta difícil de responder… O preço do transporte público em Dublin varia bastante, mas vamos focar aqui nas tarifas aplicáveis a quem visita a cidade – porque quem vive por lá geralmente possui um cartão de transporte que dá descontos, o Leap Card.

Passagens do Luas em Dublin

Os preços variam conforme a distância percorrida. No momento da compra, efetuada em máquinas localizadas nas estações, é preciso escolher a estação de partida e o destino final e a própria máquina indica o valor total – algumas vezes, elas não oferecem troco para notas de € 20 ou mais, então é indicado testar com notas menores. Para quem está viajando a lazer, a maior parte das viagens custará o preço mínimo ou estará na segunda faixa de preços.

As passagem só de ida custam entre € 2 e € 3,30 para adultos, ou entre € 1 e € 1,20 para crianças. Elas são válidas para percorrer o trajeto escolhido uma vez em até 90 minutos após a compra. Comprando a passagem de ida e volta há um desconto no valor total e elas ficam entre € 3,60 e € 5,70 (adultos) ou € 1,80 e € 2,30 (crianças) – nesse caso, a passagem vale para o dia inteiro dentro das zonas escolhidas no momento da compra.

Transporte público em Dublin: Luas e ônibus

Bilhetes de viagens de 7 dias saem entre € 15,90 e € 26. Para visitar todas as atrações listadas abaixo, nossa sugestão é comprar o ticket semanal que dá direito a viagem por duas zonas e sai por € 19. Embora as passagens semanais de € 26 sejam vendidas como uma boa alternativa para os viajantes, elas não são, pois dificilmente um turista irá percorrer além das zonas central 1 e vermelha 2, por mais descolado que seja o seu roteiro.

Quanto custa o ônibus em Dublin

As passagens individuais de ônibus custam entre € 2 e € 3,60 (adultos) e € 1 e € 1,50 (crianças). Para viagens curtas dentro do perímetro do centro da cidade, o custo é de € 0,75 – mas confesso que nunca vi uma corrida assim tão curtinha! O pagamento é feito diretamente com o motorista, em MOEDAS. Eles não aceitam cédulas de dinheiro e não fornecem troco, apenas um vale para você trocar no escritório central da companhia de ônibus. Outro detalhe importante é que a maioria das linhas deixa de passar por volta das 23h.

As exceções são os ônibus noturnos, que saem por € 6,50 e transitam toda a noite em alguns trajetos, e o Airlink, que liga o aeroporto às zonas centrais da cidade por € 7 (adulto) ou € 3 (crianças). Nesses casos, as passagens podem ser compradas com antecedência e em dinheiro nos pontos de venda espalhados pela cidade (ou seja, praticamente qualquer mercadinho!). Os mesmos locais também vendem o ticket Rambler de 5 dias, que sai por € 31,50 e dá direito ao uso ilimitado dos serviços, exceto ônibus noturnos, além de não precisar ser usado em dias consecutivos.

Dublin de Luas: guia definitivo para chegar em qualquer lugar

Confira abaixo os principais pontos turísticos de Dublin e em que estação do Luas você deve descer para ir em cada um. Todas as distâncias são aproximadas. Quando esta não é informada, significa que o ponto está localizado muito perto da estação. 😉

Spire e O’Connell Street

Red Line – estação Abbey Street

Trinity College

Green Line – estação St. Stephen’s Green (7 minutos de caminhada)

Red Line – estação Abbey Street (8 minutos de caminhada)

St. Stephen’s Green

Green Line – estação St. Stephen’s Green

Ha’penny Bridge

Red Line – estação Jervis (3 minutos de caminhada)

Temple Bar

Red Line – estação Jervis (5 minutos de caminhada)

Castelo de Dublin

Red Line – estação Jervis (10 minutos de caminhada) ou Four Courts (11 minutos de caminhada)

Catedral de St. Patrick’s

Red Line – estação Four Courts (12 minutos de caminhada)

Destilaria Old Jameson

Red Line – estação Smithfield

Phoenix Park

Red Line – estação Heuston 

Guinness Storehouse

Red Line – estação James’s (9 minutos de caminhada) ou Fátima (12 minutos de caminhada)

∴ Descubra como é o passeio pela Guinness Storehouse ∴

Kilmainham Gaol

Red Line – estação Suir Road (10 minutos de caminhada)

Mapa do Luas em Dublin

O mapa abaixo mostra o estado atual do Luas em Dublin, indicando os trajetos das linhas verde e vermelha.

Mapa do Luas em Dublin

Imagem: Reprodução Luas / Imagem em destaque CC BY 3.0 Pastor Sam

Veja também um mapa indicativo de como será o trajeto do Luas Cross City, que entrará em funcionamento em dezembro.


Nota: os valores apresentados são referentes ao mês de agosto de 2017 e podem sofrer alterações a qualquer momento. 


Planeje sua viagem

Os links abaixo pertencem a parceiros comerciais do blog e foram inseridos espontaneamente pela autora. Ao reservar serviços através destes links, você ajuda o Quase Nômade a se manter em funcionamento, recebe nossa gratidão eterna e não paga nada a mais por isso! ♥

✈️ Viaje com a KLM

🏨 Reserve seu hotel com o Booking

🚗 Alugue um carro com a Rentcars

💉 Faça o seguro viagem com a Seguros Promo ⇒ use o código NOMADE5 e ganhe 5% de desconto


⇒ Onde ficar em Dublin: veja as dicas de hospedagem dos blogueiros

⇒ Os melhores bares e pubs de Dublin para conhecer durante uma viagem

⇒ Como é a visita à Guinness Storehouse, a fábrica da cerveja Guinness em Dublin

⇒ Seguro viagem obrigatório: é seguro viajar sem um?

⇒ Roteiro completo de viagem pela Europa com estimativa de gastos

Apaixonada por contar histórias, trabalha com conteúdo desde 2010. Depois de passar quase três anos morando no exterior, percebeu que poderia carimbar o passaporte mais vezes caso trabalhasse remotamente. Hoje vive em Porto Alegre, onde nasceu, e não precisa mais pedir folga para viajar. Também escreve para os sites Hypeness e Quanto Custa Viajar.

Deixe seu comentário <3

*