Onde ficar em Frankfurt: os melhores bairros e dicas de hotéis

Se tem uma coisa que consome um tempo inimaginável no nosso planejamento de viagem é a escolha de onde ficar e em Frankfurt não foi diferente. Quem acompanha o blog sabe que quase sempre optamos por acomodações econômicas já que nossas viagens costumam ser longas – e, de outra forma, acabaríamos indo à falência.

Tem apenas duas coisas que não abrimos mão: uma boa localização e internet grátis e de qualidade. Como trabalhamos na estrada, vocês devem imaginar que ficar sem conexão pode atrapalhar bastante uma viagem, né?

Quanto à localização, só pesquisando mesmo, já que o que é bacana para um não vai ser necessariamente bom para outra pessoa. Isso também varia de cidade para cidade: se o transporte é caro ou deficiente, a localização se torna mais importante; se a cidade tem um índice de criminalidade alto, optamos por ficar próximo a alguma região de bares, para evitar deslocamentos à noite… Por sorte, Frankfurt não sofre com nenhum destes dois problemas. 🙂

Então… quais as melhores regiões para ficar na cidade na nossa opinião?

via GIPHY

Innenstadt – Hauptwache

Basicamente, o distrito de Innenstadt é o equivalente ao centro de Frankfurt. Acontece que ele é bem grandinho e nem todas as áreas são tão bacanas. Minha dica é ficar perto da estação de metrô Hauptwache – não, essa não foi a nossa escolha, mas seria caso fôssemos novamente à cidade. A área tem uma arquitetura mais tradicional e fica pertinho do Römerberg e da Paulsplatz.

Ná época em que viajamos, a região estava recebendo a Feira de Natal de Frankfurt, sobre a qual escrevi para o Hypeness. Por lá também há vários bares, restaurantes e museus – é onde fica a Casa de Goethe (leia mais sobre a visita aqui) e o museu de arte contemporânea MMK, por exemplo. Além disso, a estação é uma das principais da cidade, facilitando o transporte para basicamente qualquer lugar.

Pelo que pesquisei, o hotel mais próximo da estação é o Hotel Zentrum an der Hauptwache, simples, mas com preço razoável, ele obteve nota 8,1 no Booking. O primo baratex (se é que em Frankfurt existe algo que possa ser considerado “barato”) da região é o City Centre Hotel NEUE KRÄME am Römer, que, como o nome já indica, fica pertíssimo do Römer. Para esbanjar, o Sofitel Opera Frankfurt é uma boa opção e fica do ladinho da ópera em uma região muito gostosa.

Onde ficar em Frankfurt: bairros e hotéis

Hauptbahnhof

Sim, falando em transporte… a estação de trens Hauptbahnhof também está bem conectada a praticamente tudo e, principalmente, ao Aeroporto de Frankfurt. É de lá também que saem os ônibus para o Aeroporto de Hahn (principal ponto de chegada de voos operados por companhias low cost).

Os hotéis costumam ser mais baratos nessa área. Mesmo assim, algumas das ruas podem ser desagradáveis à noite, pois na região funciona uma mistura de zona de prostituição com bares de apostas. Não é nada que gere insegurança, mas também não é a maior maravilha do mundo, como vocês devem imaginar… Apesar disso, procurando um pouco você acha bares e restaurantes muito bacanas perto dali, como o Jambo, um bar/restaurante descoladinho com pratos inspirados na gastronomia africana (que eu amei!).

Melhores regiões para se hospedar em Frankfurt

Nossa escolha: Ibis Centrum

Localização agradável, a cerca de 10 minutos a pé da Hauptbahnhof e de frente para o Meno, em uma área bem tranquila e segura para caminhar à noite. Além disso, praticamente todas as atrações que nos interessavam estavam a menos de 30 minutos de distância.

O quarto era aquele padrão Ibis, simples mas com ótimos preços (dentro do possível) e internet rápida. Trabalhei sem grandes problemas durante toda a viagem, mas algumas vezes o wi-fi desconectava e demorava um pouco para conectar novamente. No fim, nada que atrapalhasse a estadia.

Outros hotéis próximos à estação Hauptbahnhof incluem o simples e econômico Toyoko Inn, localizado na frente do local de onde partem os ônibus com destino ao Aeroporto de Hahn. Para bolsos enxutos, o B&B Frankfurt-Hbf oferece preços baixos e uma nota de 8,3 no Booking. Com decoração maravilhosa e um preço longe de ser exorbitante, está o 25hours Hotel by Levi’s.

Sachsenhausen

Embora Sachsenhausen seja um bairro bem bacana, eu teria minhas ressalvas sobre ficar por ali porque me pareceu um pouco fora de mão. Apesar disso, Frankfurt é uma cidade relativamente pequena e, portanto, não é difícil caminhar para os outros bairros. Claro que, como sempre, tudo depende do que você estiver buscando, né?

Os pontos positivos da região são o fato de contar com diversos barzinhos e restaurantes típicos, além de ser o berço do vinho de maçã (o “apfelwein“) – que, quando servido quente, é a bebida oficial do inverno de Frankfurt (parece um chazinho com uma dose leve de álcool).

onde ficar em Frankfurt

Embora conte com menos hotéis, pode ser uma alternativa interessante para quem se hospeda através do Airbnb (aqui tem R$ 100 de desconto para o primeiro aluguel na plataforma). Outras acomodações perto dali são o Hotel am Berg, com nota 8,6 no Booking e o Senator Hotel, cuja avaliação não é tão boa, embora possa ser uma boa alternativa para bolsos mais apertados.

* Nossa viagem contou com o apoio do Frankfurt Tourismus, o que não interfere nas opiniões apresentadas nesta página. 

Foto em destaque: Christian Salow/Unsplash


Planeje sua viagem

Os links abaixo pertencem a parceiros comerciais do blog e foram inseridos espontaneamente pela autora. Ao reservar serviços através destes links, você ajuda o Quase Nômade a se manter em funcionamento, recebe nossa gratidão eterna e não paga nada a mais por isso! ♥

✈️ Voe com a Latam

🏨 Reserve seu hotel com o Booking

🚗 Alugue um carro com a Rentcars

💉 Faça o seguro viagem com a Seguros Promo ⇒ use o código NOMADE5 e ganhe 5% de desconto


⇒ A Frankfurt de Goethe: nos passos do escritor ontem e hoje

⇒ Melhores bairros de Dublin: onde se hospedar na capital irlandesa

⇒ 25+ apps de viagem grátis para planejar todos os passos do roteiro

⇒ Roteiro de viagem pela Europa com estimativa de gastos: Amsterdã, Londres + 5 cidades

⇒ Onde se hospedar em Amsterdã: as dicas de hospedagem dos blogueiros

Apaixonada por contar histórias, trabalha com conteúdo desde 2010. Depois de passar quase três anos morando no exterior, percebeu que poderia carimbar o passaporte mais vezes caso trabalhasse remotamente. Hoje vive em Porto Alegre, onde nasceu, e não precisa mais pedir folga para viajar. Também escreve para os sites Hypeness e Quanto Custa Viajar.

Deixe seu comentário <3

*

1 comment

  1. Pingback: Bares em Madrid: dicas para curtir a noite em La Latina e Malasaña