Visitando Tulum: praia, ruínas e muita natureza

Eu já tinha visto fotos, reproduções e até jogos em que Tulum aparecia. Quando soube que ficava pertinho de Playa del Carmen, encasquetei que precisávamos passar um dia por lá. Afinal, aquele cantinho era praticamente um resumo do México: tinha ruínas de civilizações pré-hispânicas, praias e também muita natureza (leia-se: lagartos por todos os cantos 🦎).

Hoje muita gente opta por se hospedar em Tulum mesmo, já que a região é mais roots do que Playa del Carmen ou Cancún e o mar é livre para quem quiser, sem que você precise ficar em algum resort ou clube de praia. Se escolher ficar lá, é possível fazer praticamente os mesmos passeios do que se estivesse em outras praias e os preços da hospedagem costumam ser mais em conta também. Preferimos ficar em Playa pois gostamos bastante de um apartamento que encontramos por lá. 😉

Como chegar em Tulum

Em primeiro lugar, fuja dos tours caríssimos. Já no aeroporto nos ofereceram a opção de realizar um tour até Tulum por “apenas” US$ 149 (quase R$ 600). Mas, sinceramente, essa opção só vale a pena se você estiver disposto a rasgar dinheiro, já que é bem fácil chegar até lá por conta própria.

Saindo de Playa del Carmen, a maneira mais fácil de chegar a Tulum é de van. Você pode subir a bordo na Rua 2 Norte e todas as vans já indicam que o destino final é Tulum – mesmo assim, é importante avisar o motorista que você irá descer na zona arqueológica.

Como chegar em Tulum saindo de Playa del Carmen

Os veículos ficam estacionados entre as avenidas 15 e 20 e há uma pequena fila para embarcar. Até lá, o motorista nos cobrou 40 pesos mexicanos (cerca de R$ 10). Assim como nos posts anteriores, a gente mostra o local certinho no mapa para ninguém errar na hora de pegar o transporte. 😉

As ruínas de Tulum

Quando chegar às ruínas de Tulum, a van vai deixar você quase na entrada. Será preciso caminhar um pouco e logo você vai ver o local para compra dos ingressos para a zona arqueológica, que saem por 65 pesos mexicanos (cerca de R$ 16). Nos avisaram que o bom seria chegar bem cedo para poder aproveitar a paisagem sem tantos turistas em volta, mas eu confesso que é difícil acordar antes das 9 da manhã. 😛

Dica importante: Leve protetor solar, roupas leves, chapéu e uma garrafa de água, pois o sol é bem forte na região. Por volta da 1 da tarde, o calor se torna quase insuportável, mesmo durante o inverno mexicano.

Zona Arqueológica de Tulum, no México

O passeio pelo parque é bem simples, já que há alguns caminhos de terra para seguir e muitos cartazes com explicações sobre a vida local, costumes e até sobre os edifícios que foram construídos pela civilização que habitou a região. Por isso mesmo, o melhor, na minha opinião, é fazer o passeio por conta própria, sem a companhia de um guia.

Quem visita outras áreas arqueológicas pelo México, como as de Cholula, Monte Albán ou Teotihuacan, vai notar bastante diferença quanto à arquitetura e disposição do local. A região de Tulum fazia parte da cultura maia e a maior parte dos edifícios que se encontram na zona foram construídos entre os anos 1.200 e 1.450, embora alguns registros datem do ano de 564.

Sítio arqueológico de Tulum, no México

Ruínas de Tulum - Riviera Maia - México

Depois de dar uma volta pela zona arqueológica, a dica é descer as escadinhas que levam à praia e curtir um pouco do dia por lá. Nesse caso, não esqueça de levar roupa de banho e uma toalha para não encharcar a van na volta. Quando fomos, a água não era tão cristalina quanto a de Akumal, mas mesmo assim era bastante limpa. O único porém é que a área da praia é bem pequena, o que faz com que as pessoas fiquem aglomeradas por lá.

Tulum - Riviera Maya - México

Praia em Tulum, no México

Saindo de Tulum

Ao sair da zona arqueológica de Tulum, você provavelmente vai estar com bastante fome. Nesse caso, existem duas opções: a primeira é ir de táxi até o vilarejo, onde você encontrará lugares bem menos turísticos, como o restaurante La Barracuda, que vários moradores da cidade nos recomendaram; a segunda opção é comer ali mesmo, nos bares e restaurantes que ficam na saída da zona arqueológica. Se eles são mais caros? São sim, mas é pouca a diferença e, pelos nossos cálculos, sairia mais barato do que pegar o táxi até o vilarejo.

Além disso, há um bônus em comer ali pertinho, já que será possível apreciar o show dos Voladores de Papantla, que é pura poesia (falamos mais sobre eles aqui) e um espetáculo tipicamente mexicano, embora já tenha sido um pouco deturpado pelo turismo. Espia só – e aproveita para nos seguir no Instagram:

A post shared by Quase Nômade (@quasenomade) on

Nota: os valores apresentados e a conversão mostrada são referentes ao mês de janeiro de 2016 e podem sofrer alterações a qualquer momento. 


Planeje sua viagem

Os links abaixo pertencem a parceiros comerciais do blog e foram inseridos espontaneamente pela autora. Ao reservar serviços através destes links, você ajuda o Quase Nômade a se manter em funcionamento, recebe nossa gratidão eterna e não paga nada a mais por isso! ♥

✈️ Viaje com a Latam

🏨 Reserve seu hotel com o Booking

🚗 Alugue um carro com a Rentcars

💉 Faça o seguro viagem com a Seguros Promo ⇒ use o código NOMADE5 e ganhe 5% de desconto


⇒ Descubra como conhecer o incrível Cenote Azul, na Riviera Maya

⇒ Akumal: a praia mexicana onde é possível nadar com tartarugas

⇒ Dicas para curtir Playa del Carmen ao máximo

⇒ Como chegar em Playa del Carmen

⇒ Conheça Puerto Escondido, o paraíso do surf no México

Apaixonada por contar histórias, trabalha com conteúdo desde 2010. Depois de passar quase três anos morando no exterior, percebeu que poderia carimbar o passaporte mais vezes caso trabalhasse remotamente. Hoje vive em Porto Alegre, onde nasceu, e não precisa mais pedir folga para viajar. Também escreve para os sites Hypeness e Quanto Custa Viajar.

Deixe seu comentário <3

*

6 comments

  1. ADRIANA SAMPAIO

    Amei seu post………… Aqui vi que é possível fazer um grande passeio sem gastar horrores obrigada pelas dicas

  2. Carolina Furio

    Mari! estou amando tudo por aqui! Me tira uma duvida por favor? Essa mesma Van que vai de Playa para Tulum tem para voltar??? E se eu quiser voltar de Tulum e ir no Cenote dos Ojos e em Akumal, tem transporte coletivo tambem? Obrigada =)

    • Oi Carolina, tudo bem? Que bom que você está gostando do conteúdo! 🙂 A van funciona tanto para ir quanto para voltar de Tulum. E é a mesma que vai para Akumal e para os cenotes Azul, Cristalino e Jardín del Eden – ou seja, dá para passar em qualquer um destes na volta. Quanto ao Cenote Dos Ojos, infelizmente não sei te informar.

  3. Renata

    Oi! Que post explicadinho… parabéns!!! Mas ainda tenho dúvida de onde pegar a van ou ônibus Ado de volta para Playa del Carmen. Eles passam em frente às ruínas na hora de voltar? Ou eu terei de ir ao vilarejo do Tulum para pegar o ônibus da Ado? O ticket (passagem) da pra comprar direto com o motorista ou tenho q ir ao terminal? Obrigadaaaaa!!! Não acho essa resposta em nenhum lugar!

    • Oi Renata, tudo bem? A volta de Tulum para Playa del Carmen é feita com a mesma van. Quando fomos, eles indicaram logo na descida onde pegar a van na volta. Elas param próximo às ruínas (não precisa ir até o vilarejo) e não tem erro, você paga direto no veículo mesmo. Atenção apenas com os valores das passagens, que podem ter sido alterados desde a data em que escrevemos este post! 😉